domingo, setembro 24, 2006

As Pontes do Guadiana

O Guadiana é vê-lo calmo, sereno, ondulando por entre as pontes, a de ferro, centenária, por ela passavam até há cerca de 30 anos, a autómotora, todo o tipo de veículos, pessoas e gado. Enquanto uns passavam ou outros tinham de interromper a sua marcha, não só para passar o combóio, como também para passar á vez, de Beja para Serpa ou de Serpa para Beja, pois não podiam cruzar-se a velhinha ponte não tinha largura para isso. E havia o apeadeiro *
O edificio do apeadeiro do Guadiana não só servia de entreposto para entrada e saída de passageiros na automotora que fazia o percurso do ramal de Beja a Moura, como era morada da pessoa ou pessoas que controlavam a passagem dos veículos, que atravessavam a ponte, de uma margem para a outra.
Então, no princípio da década de 70 deu-se início à construção da ponte rodoviária de que se sentia a falta há muito tempo.
*As fotografias do apeadeiro do Guadiana (roubei-as) do site “bolotaonline” que se apresentou desactivado e sem possibilidade de solicitar a devida autorização para reproduzir as fotografias, assim peço desculpa a quem de direito, mas não consegui fugir à tentação.

2 comentários:

boleta disse...

desactivado? qué lá isso??
acho muito mal que tenha usado fotografias que não lhe pertencem; são fotografias muito pessoais, peço-lhe por favor que as não use.
obrigado

© CAMERAMAN METALICO disse...

Somos todos de Serpa... deixa lá usar as fotos pá... tambem usei algumas vezes este apeadeiro... daqui ao Monte dos meus avós (Santana) eram uns 3 km... à pata ou de burro!
CM