segunda-feira, maio 10, 2010

Serpa para sempre

Largo das Portas de Moura. Na casa com o nº 12, vivi com os meus pais dos 5 aos 8 anos de idade. Éramos na vizinhança várias crianças mais ou menos das mesmas idades e engraçado, apesar das diferenças sociais, que naquele tempo marcavam ricos e pobres na rua eramos iguais. Lembro-me da Leopoldina (a Pódinita) e da Mariazinha filhas do patrão do meu pai, da Celeste, filha dos senhores que eram forneiros, no forno de pão que havia mesmo junto às muralhas, da Zétinha que vivia na casa mesmo em frente da minha e era a mais velha de todos, eu a minha irmã Lourdes e os meus primos. A Rosinda, filha da minha tia Bia irmã de meu pai, o Manuel, ou como era mais conhecido o Manelito, Edmundo e Zulmira filhos de uns primos irmaos do meu pai mas a quem chamavamos tios, tio Eliseu e a tia Ana Teresa. A Zulmirinha era mais pequenida de todos.
Do Grupo fazia ainda parte uma miuda que morava na Rua de Santo António de quem já não recordo o nome, e uma filha do Sr. Taquelim.
No verão podiamos bricar na rua pois não havia movimento automóvel .
"Minha mãe dá licença" o jogo do "Lencinho queimado" ou o "Jogo das estátuas" eram as nossas brincadeiras preferidas.
Também nesta casa acontecerem vários episódios engraçados que mais tarde contarei

3 comentários:

ProjectoSDPI disse...

ola.

encontramos o seu blogue, por estarmos a realizar um trabalho, com o tema saúde, desporto e psicologia infantil. daí que, estamos a realizar actividades com as crianças desta mesma creche.
visite-nos em http://projectosdpi.blogspot.com/

e deixe o seu comentario/critique/sugira. seja nossa seguidora.

esperamos por si.

Projecto SDPI disse...

olá susete!
por aqui estou a passar, outra vez.
fiquei com a curiosidade de saber de onde você é!

um beijinho

Susete Evaristo disse...

Olá eu sou de Serpa nasci na Rua dos Canos, perpendicular à Rua dos Cavalos, depois fui morar para o Largo das Portas de Moura (no rés-dochão da casa que na foto assinalei com uma seta) tinha 5 anos. Nessa creche vivi alguns momentos engraçados. O primeiro foi aos 7 fui aprender a bordar ai na Creche, levei cadeira agulha linhas tesoura e um pano de tabuleiro com um lindo desenho feito pelo meu pai porém logo no primeiro dia piquei o dedo que inchou e criou puz e nunca mais voltei à creche. Depois mais tarde com os meus 8 anos fiz a comunhão cujo almoço para todas as crianças teve lugar também nessas instalações. Estava a ser um açmoço fantástico e muita brincadeira à mistura quando os meus pais me foram buscar para ir ao futebol. Nunca mais esqueci Serpa/Almada. No final do jogo à saída do Campo estava a Guarda a ccavalo que à bastonada recebeu todos os que saiam do campo nem o Presidente da Camara respeitaram houve muitas cabeças, braços e pernas partidas. O Almada ganhou 7 a 0. Saí desa casa em 1956 e fui viver para o campo numa quinta que os meus pais estavam a iniciar e onde tinham mandado construir uma pequena casa. Em 1972 saí de Serpa estive na Suiça e em França. Quando regressei radiquei-me em Queluz onde ainda resido.
Mas o meu amor pela minha terra levam-me a percorrer as suas ruas cada vez que ai estou e a criar este blogue onde venho matar as saudades.
Beijinhos