domingo, outubro 01, 2006

O Cante

Depois de ouvido o quase murmurejar do Guadiana, junto às Pontes, e o seu canto enraivecido, qual Otelo ao sentir-se traído por Desdemona, no Pulo do Lobo, voltamos a Serpa. E ao cair da noite ouviremos as vozes, ao mesmo tempo graves e melodiosas, sofridas, rijas e fortes do Cante do Alentejo. No tempo da minha juventude, não raro se ouvia em Serpa, pela calada da noite, ou alta madrugada levantarem-se vozes cantando, mas ninguém se incomodava, antes pelo contrário, algumas janelas entreabriam-se para melhor se escutarem essas vozes.
Confesso que só mais tarde, longe, muito longe de Serpa reconheci a beleza do Cante Alentejano e aprendi o tom, as melodias, o quebrar das palavras, o arrastar das sílabas. Posso dizer que foi a saudade quem me ensinou. Corais de Serpa (fotos 1, 2 e 3)
Quem me dera ser de Serpa
Ou em Serpa ter alguém
Só para ouvir dizer
És de Serpa Cantas bem
Como ainda não sei colocar música no blogue deixo aqui algumas modas do Cante Alentejano, antigas, das de sempre.
E também descantes.
Lá vai o balão ao ar (descante)
Lá vai o balão ao ar!
Se ele vai, deixai-o ir !
Ajuntem-se as moças todas
P’ra verem o balão subir.
P’ra verem o balão subir,
P’ra verem o balão baixar
Ausentou-se o meu amor,
Já não há quem saiba amar!
Eu sou devedor à Terra
Eu sou devedor à terra
A Terra me ‘stá devendo
Eu sou devedor à Terra
A Terra me ‘stá
A Terra paga-m’em vida
Eu pago à terra em morrendo
Alentejo, Alentejo
Terra sagrada do pão
Eu hei-de ir ao Alentejo
Mesmo que seja no Verão
Ver o doirado do trigo
Na imensa solidão
Alentejo Alentejo
Terra Sagrada do Pão
Ao romper da bela aurora (moda)
Ao romper da bela aurora
Sai o pastor da choupana
Meu lírio roxo
Sai o pastor da choupana
Vem gritando em altas vozes
Muito padece quem ama
Meu lírio roxo
Muito padece quem ama
Muito padece quem ama
Mais padece quem adora
Meu lírio roxo
Muito pedece quem ama.
Não são de Serpa, são Alentejanos cantam bem e emocionam quem os ouve. Quero fazer aqui a minha homenagem aos mineiros de Aljustrel e ao Hino do Mineiro. Obrigada
O Hino do Mineiro
Nas minas de S.João
La la la la la la la la
Morrerom quatro mineiros, vê lá
Vê lá companheiro, vê lá
Vê lá como venho eu...
La la la la la la la la
Eu trago a camisa rota
La la la la la la la
E o sangue dum camarada, vê lá
Vê lá companheiro, vê lá
Vê lá como venho eu...
La la la la la la la la
La la la la la la la la
Oh Senhora Santa Bárbara
La la la la la la la la
Padroeira dos mineiros, vê lá
Vê lá companheiro
Vê lá como venho eu...
La la la la la la la la
La la la la la la la la
Eu trago a cabeça aberta
La la la la la la la la Abateu uma barreira, vê lá
Vê lá companheiro, vê lá
Vê lá como venho eu...
La la la la la la la la
La la la la la la la la
Eu trago a camisa rota
La la la la la la la la
E o sangue dum camarada, vê lá
Vê lá companheiro, vê lá
Vê lá como venho eu...
La la la la la la la la
La la la la la la la la
Oh Senhora Santa Bárbara
La la la la la la la la
Padroeira dos mineiros, vê lá
Vê lá companheiro
Vê lá como venho eu...
La la la la la la la la
La la la la la la la la

20 comentários:

Anónimo disse...

Semanalmente abro este blog não só porque por me considerar de Serpa (nasci em Amareleja mas bem criança fui morar para Serpa) e por me trazer grandes recordações (abandonei Serpa após o casamento ) mas porque encontro nele um conteudo histórico de grande realce.O nome do blog relaciono-o com a horta do Evaristo (será ? )e, se assim for, então creio tratar-se de alguem que cheguei a conhecer e cuja familia ainda se " aparentava ". Para a autora (creio que é autora ) deste blog o maior sucesso e a continuação desta escrita que continuarei a não deixar de ler.

MaD disse...

Parece que só damos o devido valor às coisas quando as não temos, não é?...
Sou um admirador dos cantares alentejanos e, por isso, fico ansiosamente à espera que no-los possa disponibilizar.
Em especial, o hino do mineiro que é lindo...
Cumprimentos.

eriovasti disse...

Obrigada pelo seu comentário. Sabe talvez por isso eu dê hoje o devido valor a essas vozes e a essas melodias e embora continuando lonje (não tão longe com antes) eu sinta cada vez mais o meu Alentejo.

Anónimo disse...

Não consigo passar uma semana sem visitar o seu blog. Não nasci em Serpa mas foi lá que passei toda a minha infancia. Tudo o que descreve e a maneira sabedora como o faz faz-me reviver aqueles tempos, a passar por aquelas ruas, enfim, um reviver saudosista. O nome que dá ao blog leva-me a pensar que esteja relacionado com a horta do Evaristo do qual também mantenho algumas recordações por se tratar de pessoas com algum "parentesco" a meus falecidos pais. A continuação do seu trabalho que vou divulgando pela "malta" amiga.

O Chaparro disse...

o hino do mineiro é lindo.
Costumo canta-lo ao meu filho p ele adormecer
bom fim d semana

eriovasti disse...

Bom fim de semana também para ti. É do Cante Alentejano aquele que eu mais gosto porque me emociona. Fazes bem em cantar as modas alentejanas ao teu filho há que passar o testemunho e o valor das nossas tradições. Um abraço

sharkinho disse...

Arrepia-me, escutar esse sentir alentejano.

M.M Rules disse...

Não há nada mais belo que o cantar alentejano, tambem eu me lembro de ouvir os cantes na calada da noite, e olha que eu não sou muito velho. Mas olha eu sou do conselho de Serpa e tenho orgulho e a felicidade de ver que muitos dos jovens se agarram ao cante e não o deixam morrer... eu, considerado um "Heavy Metal", adoro e canto sempre que posso, e isso é todos os dias.

eriovasti disse...

Caro anónimo 1º comentador deste post, desculpe se só agora lhe respondo. Sim sou a filha mais nova do dono dessa "horta" a Quinta da Fonte Nova. Agradeço o insentivo. Como postou o seu comentário como anónimo não sei de quem se trata mas se voltar a abrir este blogue e quizer entrar em contacto comigo pode fazê-lo para: sse@netcabo.pt gostaria muito de saber quem é já que diz que podemos ser ainda parentes.

eriovasti disse...

Caro anónimo 1º comentador deste post, desculpe se só agora lhe respondo. Sim sou a filha mais nova do dono dessa "horta" a Quinta da Fonte Nova. Agradeço o insentivo. Como postou o seu comentário como anónimo não sei de quem se trata mas se voltar a abrir este blogue e quizer entrar em contacto comigo pode fazê-lo para: sse@netcabo.pt gostaria muito de saber quem é já que diz que podemos ser ainda parentes.

Miguel Rocha disse...

Alguém tem esta música? Não consigo encontrála em lado nenhum, se alguém a tiver em mp3 por favor contacteme, a minha família é da mina de S. domingos e eu adoro esta música, obrigado

mafonsorocha@hotmail.com

© CAMERAMAN METALICO disse...

É daqueles cantes que fazem arrepiar. Sem dúvida a moda mais bonita do Alentejo. Tambem sou de Serpa - Nasci no Monte de Santana (ao pé da Ermida do mesmo nome) em 1955... Chamo-me António Melão e sou fotógrafo em Lisboa.
Excelente blog CM

© CAMERAMAN METALICO disse...

Onde é mesmo a quinta da Fonte Nova?
CM

Susete Evaristo disse...

Olá outra vez patricio vou saber alguma coisa relativa à Ermida de Santana e breve breve publicarei o que souber.
O teu nome não me é estranho António Melão embora sejas muito mais novo que eu. Eu nasci em 1948.
A Quinta da Fonte Nova - Que depois da morte do meu pai está quase ao abandono - é a primeira quinta logo a seguir à Ermida de S. Pedro ou seja depois das piscinas.
O supermercaso Ecomarché fica "paredes-meias" com os terrenos da quinta.

© CAMERAMAN METALICO disse...

Mas a quinta ainda é da tua familia? Ao abandono? Não pode ser... ainda te arrendo a quinta, faço as malas e volto para Serpa!
Quero morrer onde nasci... maluquices!
saude - Antonio

Susete Evaristo disse...

Chegaste tarde amigo eu bem tentei segurar mas após 17 anos sobre a morte do meu pai e 7 da morte da minha mãe, um aluguer que nada dá pois a degradação acentuou-se eu e minha sobrinha unícas herdeiras resolvemos vender estamos neste momento a tratar de toda a documentação para ultimar a sua venda. Por muito que me custe é já decisivo.

Anónimo disse...

Viva, Susete!
Volto de novo para dizer que está -
muito bem consebido, os textos aqui apresentados.
Atensiosamente,
Os poderosos podem matar uma, duas ou três rosas, mas jamais conseguirão
deter a primavera inteira
(Che Guevara}
Manuel Cataluna

Anónimo disse...

Caros conterraneos, sendo eu um grande apaixonado, pelo cante alentejano, deixem-me dizer que o hino dos mineiros (muito bem interpretada pelos mineiros de aljustrel,)nao é mais do que uma adaptaçao inspirado, em Nel Pozu Maria Luisa, um canto anarquista dos mineiros das Astúrias, durante a Guerra Civil de Espanha. nao tenho nada contra mas eu, um serpense que vive e sente o cante alentejano como mais ninguem~, prefiro modas "nossas". e para isso basta ouvir "Alentejo (do saudoso mestre Zé Gato), Alentejo" ou "serpa de guadalupe".
havera verdade mais verdadeira do que:
"eu sou devedor a terra
a terra me esta devendo
a terra paga-me em vida
eu pago a terra em morrendo".

desculpem este meu desabafo, e que meperdoem todos os outros alentejanos, mas cante alentejano so mesmo em serpa!!!(apesar dos muitos e bons grupos que por ai existem), mas como diz a cantiga:
"quem me dera ser de serpa
ou em serpa ter alguem
so para ouvir dizer
es de serpa cantas bem"

Anónimo disse...

Parabéns pelo blog.
Sou um alentejano de Pias.
Gosto muito do cante alentejano.
Alguém tem esta música que me possa enviar? Não consigo encontrála. Obrigado

carrascomf@gmail.com

Anónimo disse...

Obrigado por Blog intiresny